Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Docentes - Inscrições abertas

EDITAL EP - 081/2017 - LIVRE DOCENTE - FEVEREIRO 2018

ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO DE TÍTULOS E PROVAS VISANDO A OBTENÇÃO DO TÍTULO DE LIVRE-DOCENTE, NOS DIVERSOS DEPARTAMENTOS DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.

 

EDITAL- EP/Concursos – 081/2017

O Diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Prof. Dr. José Roberto Castilho Piqueira, torna público a todos os interessados que, conforme estabelecido nos artigos 56 e 57 do Regimento Interno da Escola Politécnica, faz saber que estarão abertas as inscrições, no período de 15/02/2018 a 01/03/2018, nas seguintes especialidades ou áreas:

Departamento de Engenharia de Construção Civil - PCC:

  1. Tecnologia e Gestão da Produção na Construção Civil.
  2. Engenharia de Sistemas Prediais.
  3. Materiais e Componentes de Construção Civil.
  4. Real Estate.
  5. Planejamento e Engenharia Urbanos.
  6. Tecnologia Computacional para Construção Civil.

Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica - PEF:

1. Teoria das Estruturas;

2. Mecânica dos Sólidos Deformáveis;

3. Projeto e Métodos Construtivos de Estruturas;

4.Estruturas Correntes, Projeto e Materiais Estruturais;

5. Geomecânica;

6. Fundações e Escavações;

7. Obras de Terra e Geotecnia Ambiental.

Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas - PEA:

  1. Sistemas de Potência.
  2. Instrumentação e Sensores a Fibras Ópticas para Medição, Proteção e Automação de Sistemas Elétricos de Potência.
  3. Energia Elétrica.
  4. Eletrônica de Potência.
  5. Distribuição de Energia Elétrica.
  6. Automação de Processos Industriais.
  7. Elementos Finitos Aplicados a Máquinas Elétricas.
  8. Conversão Eletromecânica de Energia e Máquinas Elétricas.
  9. Proteção de Sistemas Elétricos de Potência.

10. Compatibilidade Eletromagnética.

Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais - PCS:

  1. Arquitetura de Computadores.
  2. Automação e Sistemas Convergentes.
  3. Confiabilidade e Segurança.
  4. Engenharia de Software e Banco de Dados.
  5. Fundamentos da Engenharia de Computação.
  6. Inteligência Artificial.
  7. Redes de Computadores.
  8. Tecnologia da Informação Aplicada ao Agronegócio, ao Ambiente e à Biodiversidade.
  9. Tecnologias Interativas.

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental - PHA:

1.  Obras Hidráulicas Fluviais e Marítimas.

2.  Hidráulica Ambiental.

3.  Recursos Hídricos.

4.  Saneamento.

5.  Engenharia Ambiental e de Recursos Hídricos.

  1. Engenharia Ambiental.
  2. Saneamento Ambiental.
  3. Gestão Ambiental.

10. Poluição Ambiental.

 

Departamento de Engenharia Mecânica - PME:

  1. Mecânica dos Fluidos.
  2. Controle de Sistemas Dinâmicos.
  3. Dinâmica e Vibrações.
  4. Mecânica das Estruturas.
  5. Projeto e Análise de Estruturas Mecânicas.
  6. Comportamento e Seleção de Materiais para Engenharia Mecânica.
  7. Termodinâmica e Transferência de Calor e Massa.
  8. Máquinas e Sistemas Térmicos.
  9. Biomecânica.

 

Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo - PMI:

  1. Economia Mineral e Pesquisa Mineral.
  2. Engenharia Ambiental Aplicada à Mineração.
  3. Lavra de Minas.
  4. Mecânica de Rochas Aplicadas à Mineração e Abertura de Vias Subterrâneas.
  5. Tratamento de Minérios.
  6. Caracterização Tecnológica
  7. Recursos Minerais Energéticos

 

Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos - PMR:

  1. Processos de Fabricação.
  2. Automação da Manufatura e Robótica.
  3. Métodos Computacionais Aplicados à Automação Industrial e Robótica.
  4. Engenharia Mecatrônica.
  5. Mecânica Computacional Aplicada à Engenharia Mecatrônica.

Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais - PMT:

1. Materiais Poliméricos.

2. Materiais Metálicos.

3. Materiais Cerâmicos.

4. Processos de Metalurgia Extrativa.

5. Processos de Conformação.

Departamento de Engenharia Naval e Oceânica - PNV:

1.  Projeto do Navio.

2.  Hidrodinâmica de Sistemas Navais e Oceânicos.

3. Tecnologia de Construção Naval.

4.  Estruturas Navais.

5.  Máquinas Marítimas e Controle de Sistemas Oceânicos.

6. Transportes Marítimo e Fluvial, Planejamento Portuário e Logística.

Departamento de Engenharia Química - PQI:

  1. Análise, Simulação e Controle de Processos Químicos.
  2. Engenharia de Alimentos.
  3. Engenharia Bioquímica.
  4. Eletroquímica e Corrosão.
  5. Fenômenos de Transporte.
  6. Engenharia de Reações Químicas.
  7. Separações Térmicas e Mecânicas.
  8. Termodinâmica Química.

Departamento de Engenharia de Produção - PRO:

  1. Trabalho, Tecnologia e Organização.
  2. Gestão de Operações e Logística.
  3. Gestão da Tecnologia da Informação.
  4. Qualidade e Engenharia do Produto.
  5. Economia da Produção e Engenharia Financeira.

Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos - PSI:

  1. Circuitos e Sistemas.
  2. Materiais e Processos para Micro e Nanossistemas.
  3. Meios Eletrônicos Interativos.
  4. Metodologias de Projeto de Sistemas Digitais Integrados.
  5. Micro e Nanodispositivos.
  6. Microondas e Optoeletrônica.
  7. Neurocomputação Eletrônica e Sistemas Adaptativos.
  8. Processamento de Sinais.
  9. Processamento e Análise de Imagens.
  10. Projeto de Circuitos Integrados.
  11. Sistemas Eletrônicos para Computação Ubíqua.
  12. Microondas e Ondas Milimétricas

 

Departamento de Engenharia de Telecomunicações e Controle - PTC:

1. Controle e Automação;

2. Telecomunicações;

3. Engenharia Biomédica;

4. Eletromagnetismo Aplicado a Telecomunicações;

5. Processamento e Análise Digital de Sinais.

Departamento de Engenharia de Transportes - PTR:

1. Infraestrutura de Transportes – Sub-área: Projeto de Vias de Transportes.

2. Planejamento e Operação de Transportes – Sub-área: Logística e Sistemas de Transporte.

3. Aquisição, Tratamento e Uso de Informações Espaciais – Sub-Área: Geoprocessamento Aplicado à Engenharia.

4. Infraestrutura de Transportes – Sub-área: Projeto e construção de pavimentos.

5. Aquisição, Tratamento e Uso de Informações Espaciais – Sub-área: Topografia, Geodésia e Cartografia Aplicadas à  Engenharia.

  1. Planejamento e Operação de Transportes – Sub-área: Transporte Urbano.

INSCRIÇÕES E DOCUMENTOS

 

1. As inscrições serão feitas no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos da Escola Politécnica da USP, de segunda a sexta-feira, exceto feriados e pontos facultativos, das 9 às 11 ou das 14 às 16 horas, na Avenida Professor Luciano Gualberto, 380 - Travessa 3 – Edifício Engenheiro Mário Covas Júnior - térreo, e no ato da inscrição o candidato assinará um requerimento dirigido ao Diretor da Escola Politécnica (formulário a ser preenchido no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos), acompanhado dos seguintes documentos:

I - memorial circunstanciado, em dez cópias, no qual sejam comprovados os trabalhos publicados, as atividades realizadas pertinentes ao concurso e as demais informações que permitam avaliação de seus méritos;

  1. Comprobatórios (UMA VIA):

A -1. Entregar a documentação comprobatória do memorial acondicionada em pastas ou caixas, devidamente etiquetadas, com nome do candidato, número do edital e uma lista dos documentos nela contida; essa documentação será devolvida aos candidatos após a realização do concurso;

A -2. No caso de diplomas, certificados e atestados, deverão ser entregues cópias e no dia do certame o candidato deverá trazer seus originais;

II - Prova de quitação com o serviço militar para candidatos de sexo masculino (cópia simples);

III - Título de eleitor e comprovante de votação da última eleição, prova de pagamento da respectiva multa ou a devida justificativa (cópia simples);

IV – RG ou, no caso de candidato estrangeiro, RNE ou passaporte (cópia simples);

V - Prova de que é portador do título de Doutor, outorgado pela USP, por ela reconhecido, ou de validade nacional (cópia simples).

VI - Dez exemplares da tese original ou de texto que sistematize criticamente a obra do candidato ou parte dela.

Parágrafo 1º - Os docentes em exercício na USP serão dispensados das exigências referidas nos incisos II, III e IV, desde que as tenham cumprido por ocasião de seu contrato inicial.

Parágrafo 2º - Os candidatos estrangeiros serão dispensados das exigências dos incisos II e III, devendo apresentar cópia de visto temporário ou permanente, que faculte o exercício de atividade remunerada no Brasil.

1.1. Inscrições realizadas por terceiros serão aceitas mediante apresentação de procuração assinada pelo candidato, com firma reconhecida em cartório acompanhada de RG do procurador e cópias autenticadas de todos os documentos do candidato.

1.2. Não serão recebidas inscrições pelo correio e Internet;

2. As inscrições serão julgadas pela Congregação, em seu aspecto formal, publicando-se a decisão, no Diário Oficial do Estado.

2.1. O candidato poderá acessar a informação de aceitação ou não de inscrição no site da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (jornal do Diário Oficial do Estado) www.imesp.com.br.

PROVAS:

3. O concurso deverá ser realizado no prazo máximo de cento e vinte dias, após a aprovação das inscrições. A contagem será a partir da publicação no Diário Oficial do Estado.

3.1. A agenda dos trabalhos será elaborada pela Comissão Julgadora no primeiro dia do certame e os candidatos receberão cópia da mesma.

3.2. O Concurso terá as seguintes provas:

I – prova escrita;

II – defesa de tese ou de texto que sistematize criticamente a obra do candidato ou parte dela;

III – julgamento do memorial com prova pública da arguição;

IV – avaliação didática;

V – prova prática, de acordo com o artigo 167, parágrafo único do Regimento Geral da Universidade de São Paulo.

PROVA ESCRITA

A prova escrita, que versará sobre assunto de ordem geral e doutrinária, será realizada de acordo com o disposto no art. 139 e seu parágrafo único do Regimento Geral da USP a seguir:

I - a Comissão organizará uma lista de dez pontos, com base no programa de concurso e dela dará conhecimento aos candidatos, vinte e quatro horas antes do sorteio do ponto;

II - sorteado o ponto, inicia-se o prazo improrrogável de cinco horas de duração da prova;

III - durante sessenta minutos, após o sorteio, será permitida a consulta a livros, periódicos e outros documentos bibliográficos;

IV - as anotações efetuadas durante o período de consulta poderão ser utilizadas no decorrer da prova, devendo ser feitas em papel rubricado pela Comissão e anexadas ao texto final;

V - a prova, que será lida em sessão pública pelo candidato, deverá ser reproduzida em cópias que serão entregues aos membros da Comissão Julgadora, ao se abrir a sessão;

VI - cada prova será avaliada pelos membros da Comissão Julgadora, individualmente. Após seu julgamento, as cópias das provas deverão ser entregues ao Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos para serem incineradas.

Parágrafo Único - O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à Comissão Julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

O candidato poderá usar computador nesta prova, a critério da Comissão Julgadora do Concurso. A CPU será verificada, conforme determina a Circ.SG/Co/70, de 5/09/2001, e documento aprovado pela Egrégia Congregação em 28/02/2002.

DEFESA DA TESE OU TEXTO

Na defesa pública de tese ou de texto elaborado (redigido em português), os examinadores levarão em conta o valor intrínseco do trabalho, o domínio do assunto abordado, bem como a contribuição original do candidato na área de conhecimento pertinente.

Na defesa pública de tese ou de texto serão obedecidas as seguintes normas:

I - a tese ou texto será enviado a cada membro da Comissão Julgadora, pelo menos trinta dias antes da realização da prova;

II - a duração da arguição não excederá de trinta minutos por examinador, cabendo ao candidato igual prazo para a resposta;

III - havendo concordância entre o examinador e o candidato, poderá ser estabelecido o diálogo entre ambos, observado o prazo global de sessenta minutos.

JULGAMENTO DO MEMORIAL

O julgamento do memorial e a avaliação da prova pública de arguição serão expressos mediante nota global, atribuída após a arguição de todos os candidatos, devendo refletir o desempenho na arguição, bem como o mérito dos candidatos.

Parágrafo Primeiro - O mérito dos candidatos será julgado com base no conjunto de suas atividades, que poderão compreender:

I - produção científica, literária, filosófica ou artística;

II - atividade didática;

III - atividades de formação e orientação de discípulos;

IV - atividades relacionadas à prestação de serviços à comunidade;

V - atividades profissionais, ou outras, quando for o caso;

VI - diplomas e outras dignidades universitárias.

Parágrafo Segundo - A Comissão Julgadora considerará, de preferência, os títulos obtidos, os trabalhos e demais atividades realizadas após a obtenção do grau de doutor.

AVALIAÇÃO DIDÁTICA

A prova de avaliação didática destina-se a verificar a capacidade de organização, a produção ou o desempenho didático do candidato em sessão pública:

I - a Comissão Julgadora organizará uma lista de dez pontos com base no programa do concurso;

II - a Comissão Julgadora dará conhecimento dessa lista ao candidato, imediatamente antes do sorteio do ponto;

III – a realização da prova far-se-á vinte e quatro horas após o sorteio do ponto;

IV – o candidato poderá utilizar o material didático que julgar necessário;

V – a duração mínima da prova será de quarenta minutos e a máxima de sessenta (em nível de Pós-Graduação);

O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à Comissão Julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

Cada membro da Comissão Julgadora poderá formular perguntas sobre a aula ministrada, não podendo ultrapassar o prazo de quinze minutos, assegurado ao candidato igual tempo para resposta.

PROVA PRÁTICA

A prova prática consistirá em trabalho de projeto, ou trabalho experimental ou estudo de caso, reger-se-á pelas seguintes normas:

I – A Comissão Julgadora elaborará uma lista de no mínimo cinco temas, com base no programa do concurso, para subsequente sorteio, dando-se conhecimento aos candidatos antes do início da prova;

II - O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à Comissão Julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação;

III – A prova terá duração máxima de 5 horas, contadas a partir do instante em que o candidato receber as especificações do trabalho a ser realizado, sendo livre a consulta à documentação desejada;

IV – Se o número de candidatos o exigir, eles serão divididos em grupos, observada a ordem de inscrição para fim de sorteio e realização da prova;

V – Os temas de natureza experimental devem ser compatíveis com os recursos disponíveis no Departamento;

VI – Na prova prática é permitida a utilização de computador, sujeita a explícita anuência da Comissão Julgadora, que deverá examinar o equipamento antes da realização da prova.

RESULTADO FINAL DO CONCURSO

  1. O resultado do concurso será imediatamente proclamado pela Comissão Julgadora, em sessão pública.

4.1.    Serão considerados habilitados os candidatos que alcançarem da maioria dos examinadores, nota final mínima sete.

4.2.    A Comissão Julgadora elaborará relatório final circunstanciado sobre o desempenho dos candidatos, justificando as notas.

COMISSÃO JULGADORA

5. A Comissão Julgadora será constituída por cinco professores, de nível igual ou superior ao do associado, indicados pela Congregação, por proposta do Conselho do Departamento, dos quais no mínimo um e no máximo dois da própria Unidade.

5.1. Assegurada à presença de no mínimo três membros estranhos à Unidade, para a composição das comissões Julgadoras do concurso de Livre-Docência, poderá ser indicado um docente aposentado da própria Unidade.

PROGRAMAS:

6. Os programas elaborados pelos Departamentos, bem como outras informações serão fornecidas no local de inscrição ou através de e-mail.

Informações e normas pertinentes ao concurso acesse o site www.usp.br/normas (Regimento Geral da USP);

Informações dos editais publicados acesse o site www.imesp.com.br

Contatos: e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Edital 077/2017 - Professor Doutor para o PMI na especialidade "Engenharia de Petróleo"

Edital EP/CONCURSOS 077/2017

 

CONCURSO PROFESSOR DOUTOR – 1 FASE

ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO PÚBLICO DE TÍTULOS E PROVAS VISANDO O PROVIMENTO DE 01 (UM) CARGO DE PROFESSOR DOUTOR NO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MINAS E DE PETRÓLEO DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

O Diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Prof. Dr. José Roberto Castilho Piqueira, torna público a todos os interessados que, de acordo com o decidido pela Congregação em sessão ordinária realizada em 26/10/2017, estarão abertas, pelo prazo de 90 dias, com início às 9 horas (horário de Brasília) do dia 01/11/2017 e término às 16 horas (horário de Brasília) do dia 30/01/2018, as inscrições ao concurso público de títulos e provas para provimento de 01 (um) cargo de Professor Doutor, referência MS-3, em Regime de Dedicação Integral à Docência e à Pesquisa (RDIDP), claro/cargo nº 1234625, com o salário de R$ 10.670,76 (mês/ano), junto ao Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo, na especialidade “Engenharia de Petróleo”, para o curso de Engenharia de Petróleo ministrado na cidade de Santos / SP, nos termos do art. 125, parágrafo 1º, do Regimento Geral da USP, e o respectivo programa que segue:

ESPECIALIDADE: ENGENHARIA DE PETRÓLEO

 

  1. Fundamentos da Prospecção de Petróleo. Métodos Potenciais. Métodos Sísmicos: aquisição, processamento e interpretação de dados sísmicos. Sísmica 3D. Sísmica 4D. Sísmica de poço.
  2. Avaliação de formações.
  3. Métodos de acompanhamento de poços, incluindo a relação entre as propriedades medidas e as propriedades do reservatório. Testemunhagem e perfilagem de poços.
  4. Análise de poços em função do tamanho e conteúdo do reservatório.
  5. Testes de poços de petróleo: Teste de fluxo estabilizado e transiente. Análise de curvas. Tipos de testes. Projetos de testes.
  6. Informações para estudos de engenharia de reservatórios. Fator de recuperação.
  7. Avaliação e desempenho de reservatórios. Propriedades dos fluidos e das rochas.
  8. Fluxo de líquidos e gases em meios porosos. Caracterização de regime de fluxo em reservatórios.
  9. Descontinuidades. Efeitos de superposição. Método de imagens. Influência de fraturas em reservatórios e poços. Influência das características dos poços verticais e horizontais na produção.

10. Métodos gráficos e analíticos para visualização do reservatório, seu conteúdo e seu potencial de produção.

11. Introdução à simulação numérica de reservatórios, ajustes de histórico e previsões.

12. Uso de ferramentas computacionais para manuseio de dados, visualização gráfica, descrição de poços e cálculo de parâmetros do reservatório.

13. Estudo e solução de equação de difusibilidade.

14. Cálculos de balanço de massa para cada tipo de reservatório.

15. Previsão de recuperações futuras através de análise de curvas de declínio de produção e balanço de massa.

16. Mecanismos de produção: gás em solução capa de gás, injeção de água, segregação gravitacional e mecanismo combinado.

17. Aspectos de engenharia de reservatório para processos de recuperação secundária convencional e especial: deslocamento líquido-líquido (polímeros, água, cáusticos, miscíveis, surfactantes), deslocamento gás-líquido (gás pobre, gás rico e CO2); métodos térmicos etc.

18. Estabilidade de escavações subterrâneas de armazenamento.

19. Comportamento mecânico de rochas a altas pressões e temperaturas.

20. Subsidência associada à drenagem de poços de petróleo.

21. Técnicas de perfuração de poços petrolíferos em terra e no mar.

22. Contratos de perfuração. Dimensionamento e seleção de equipamentos de perfuração.

23. Hidráulica de equipamentos de perfuração (sonda).

24. Sistemas de perfuração rotativa. Projeto de programas de perfuração. Brocas de perfuração.

25. Perfuração e controle de poços a altas pressões. Controle da estabilidade das paredes de poços de petróleo.

26. Perfuração direcional e horizontal.

27. Métodos de otimização de perfuração.

28. Estudos e projeto de fluídos de perfuração.

29. Projeto de revestimento de poços. Controle de kick e blow out. Remoção de kick.

30. Completação: Tipos, etapas e parâmetros. Coluna de produção. Produtividade de poços e estimativa de taxas de produção.

31. Projeto e uso de tubos de revestimentos. Cimentação.

32. Canhoneio. Mecânica dos furos.

33. Danos e técnicas de estimulação de poços. Acidificação e fraturamento hidráulico. Elevação artificial.

34. Projeto de condicionamento de poços.

35. Produção e controle de areia, danos de revestimento associados à completação.

36. Dimensionamento de fraturas. Considerações sobre propagação e previsão de fraturas no reservatório.

37. Pescaria.

38. Processamento primário de fluidos.

O concurso será regido pelo disposto no Estatuto e no Regimento Geral da Universidade de São Paulo e no Regimento da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

  1. Os pedidos de inscrição deverão ser feitos, exclusivamente, por meio do link https://uspdigital.usp.br/gr/admissao no período acima indicado, devendo o candidato apresentar requerimento dirigido ao Diretor da Escola Politécnica, Prof. Dr. José Roberto Castilho Piqueira, contendo dados pessoais e área de conhecimento (especialidade) do Departamento a que concorre, anexando os seguintes documentos:

I – memorial circunstanciado e comprovação dos trabalhos publicados, das atividades realizadas pertinentes ao concurso e das demais informações que permitam avaliação de seus méritos, em formato digital.

II – prova de que é portador do título de Doutor outorgado pela USP, por ela reconhecido ou de validade nacional;

III – prova de quitação com o serviço militar para candidatos do sexo masculino;

IV – título de eleitor;

V – comprovante(s) de votação da última eleição, prova de pagamento da respectiva multa ou a devida justificativa.

Parágrafo primeiro: Elementos comprobatórios do memorial referido no inciso I, tais como maquetes, obras de arte ou outros materiais que não puderem ser digitalizados deverão ser apresentados até o último dia útil que antecede o início do concurso.

Parágrafo segundo: Os docentes em exercício na USP serão dispensados das exigências referidas nos incisos III e IV, desde que as tenham cumprido por ocasião de seu contrato inicial.

Parágrafo terceiro: Os candidatos estrangeiros serão dispensados das exigências dos incisos III, IV e V, devendo comprovar que se encontram em situação regular no Brasil.

Parágrafo quarto: O candidato estrangeiro aprovado no concurso e indicado para o preenchimento do cargo só poderá tomar posse se apresentar visto temporário ou permanente que faculte o exercício de atividade remunerada no Brasil.

Parágrafo quinto: No ato da inscrição, os candidatos portadores de necessidades especiais deverão apresentar solicitação para que se providenciem as condições necessárias para a realização das provas.

  1. As inscrições serão julgadas pela Congregação da Escola Politécnica, em seu aspecto formal, publicando-se a decisão em edital.

Parágrafo único – O concurso deverá realizar-se no prazo de trinta a cento e vinte dias, a contar da data da publicação no Diário Oficial do Estado da aprovação das inscrições, de acordo com o artigo 134, parágrafo único, do Regimento Geral da USP.

  1. As provas constarão de:

I – julgamento do memorial com prova pública de arguição;

II – prova didática;

III – prova escrita.

Parágrafo primeiro: A convocação dos inscritos para a realização das provas será publicada no Diário Oficial do Estado.

Parágrafo segundo: Os candidatos que se apresentarem depois do horário estabelecido não poderão realizar as provas.

  1. O julgamento do memorial, expresso mediante nota global, incluindo arguição e avaliação, deverá refletir o mérito do candidato.

Parágrafo único – No julgamento do memorial, a comissão apreciará:

I – produção científica, literária, filosófica ou artística;

II – atividade didática universitária;

III – atividades relacionadas à prestação de serviços à comunidade;

IV – atividades profissionais ou outras, quando for o caso;

V - diplomas e outras dignidades universitárias.

  1. A prova didática será pública, com a duração mínima de quarenta e máxima de sessenta minutos, e versará sobre o programa da área de conhecimento acima mencionada, nos termos do artigo 137 do Regimento Geral da USP.

I – a comissão julgadora, com base no programa do concurso, organizará uma lista de dez pontos, da qual os candidatos tomarão conhecimento imediatamente antes do sorteio do ponto;

II - o candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à comissão julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação;

III – o sorteio do ponto será feito vinte e quatro horas antes da realização da prova didática, sendo vedado ao candidato renunciar a esse prazo;

IV – o candidato poderá utilizar o material didático que julgar necessário;

V – se o número de candidatos o exigir, eles serão divididos em grupos de, no máximo, três, observada a ordem de inscrição, para fins de sorteio e realização da prova.

  1. A prova escrita, que versará sobre assunto de ordem geral e doutrinária, será realizada de acordo com o disposto no art. 139, e seu parágrafo único, do Regimento Geral da USP.

I – a comissão julgadora organizará uma lista de dez pontos, com base no programa do concurso, e dela dará conhecimento aos candidatos vinte e quatro horas antes do sorteio do ponto, sendo vedado ao candidato renunciar a esse prazo;

II - o candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à comissão julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação;

III - sorteado o ponto, inicia-se o prazo improrrogável de cinco horas de duração da prova;

IV – durante sessenta minutos, após o sorteio, será permitida a consulta a livros, periódicos e outros documentos bibliográficos;

V – as anotações efetuadas durante o período de consulta poderão ser utilizadas no decorrer da prova, devendo ser feitas em papel rubricado pela comissão e anexadas ao texto final;

VI – a prova, que será lida em sessão pública pelo candidato, deverá ser reproduzida em cópias que serão entregues aos membros da comissão julgadora ao se abrir a sessão;

VII – cada prova será avaliada, individualmente, pelos membros da comissão julgadora.

  1. Ao término da apreciação das provas, cada candidato terá de cada examinador uma nota final que será a média ponderada das notas por ele conferidas.
  1. As notas das provas poderão variar de zero a dez, com aproximação até a primeira casa decimal.
  1. O resultado do concurso será proclamado pela comissão julgadora imediatamente após seu término, em sessão pública.

10. Serão considerados habilitados os candidatos que obtiverem, da maioria dos examinadores, nota final mínima sete.

11. A indicação dos candidatos será feita por examinador, segundo as notas por ele conferidas;

12. Será proposto para nomeação o candidato que obtiver o maior número de indicações da comissão julgadora.

13. A posse do candidato indicado ficará sujeita à aprovação em exame médico realizado pelo Departamento de Perícias Médicas do Estado – DPME, nos termos do Artigo 47, VI da Lei nº 10.261/68.

14. A nomeação do docente aprovado no concurso, assim como as demais providências decorrentes, serão regidas pelos termos da Resolução 7271 de 2016.

15. O docente em RDIDP deverá manter vínculo empregatício exclusivo com a USP, nos termos do artigo 197 do Regimento Geral da USP.

16. O concurso terá validade imediata e será proposto para nomeação somente o candidato indicado para o cargo posto em concurso.

17. O candidato será convocado para posse pelo Diário Oficial do Estado.

Maiores informações, bem como as normas pertinentes ao concurso, encontram-se à disposição dos interessados no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, na Avenida Professor Luciano Gualberto, 380, Travessa 3, Prédio Engenheiro Mario Covas Junior, Cidade Universitária – São Paulo,SP.

Informações dos editais publicados acesse o site www.imesp.com.br

     Contatos: e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. "> Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

Professor Temporário para o PMI na especialidade "Lavra de Minas" - Edital 070/2017

EDITAL EP/CONCURSOS 070/2017

ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

O Diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo torna público a todos os interessados que, conforme aprovação pelo Conselho Técnico-Administrativo, em reunião realizada em 19.10.2017, estarão abertas por 20 (vinte) dias, no período das 9 horas do dia 26/10/2017 às 16 horas do dia 14/11/2017, as inscrições para o processo seletivo para a contratação de 01 (um) docente por prazo determinado, como Professor Contratado III (MS-3.1, para os contratados com título de Doutor), com salário de R$ 1849,66, ou como Professor Contratado II (MS-2, para os contratados com título de Mestre), com salário de R$ 1.322,41, referência mês de maio de 2016, com jornada de 12 (doze) horas semanais de trabalho, junto ao Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo, nos termos da Resolução nº 5.872/10 e alterações posteriores, bem como da Resolução nº 7.354/17.
1. Os membros da Comissão de Seleção serão indicados pelo CTA da EPUSP, após o término do período de inscrições e de acordo com os termos da Resolução nº 7.354/17.
2. Os pedidos de inscrição deverão ser feitos, exclusivamente, por meio do link https://uspdigital.usp.br/gr/admissao, no período acima indicado, devendo o candidato apresentar requerimento dirigido ao Diretor Prof. Dr. José Roberto Castilho Piqueira, contendo dados pessoais e Área de conhecimento (especialidade) a que concorre, acompanhado dos seguintes documentos:
I. Documento de identificação (RG, RNE ou passaporte);
II. CPF (para candidatos brasileiros);
III. Prova de que é portador do titulo de Doutor (para Professor Contratado III) ou Mestre (para Professor Contratado II), outorgado ou reconhecido pela USP ou de validade nacional;
2.1. Não serão recebidas inscrições pelo correio, e-mail, fax, ou qualquer outro meio.
2.2. No ato da inscrição, os candidatos portadores de necessidades especiais deverão apresentar solicitação para que se providenciem as condições necessárias para a realização das provas.
3. O processo seletivo terá validade imediata, exaurindo-se com a eventual contratação do(s) aprovado(s).
4. Atribuição da função: o(s) candidato(s) aprovado(s), ao ser(em) contratado(s), deverá(ão) ministrar as seguintes disciplinas:
• PMI3220 Planejamento de Lavra de Minas
• PMI3325 Lavra a Céu Aberto
• PMI3301 Métodos de Lavra Subterrânea
• PMI3236 Projeto de Lavra de Minas
• PMI3813 Trabalho Prático de Campo
• PMI3213 Escavação e Transporte na Mineração
• PMI3101 Introdução à Engenharia Aplicada à Indústria Mineral
• PMI5014 Projeto de Planejamento e Sequenciamento de Lavra
• PMI5774 Gerenciamento de Projetos de Mineração
• PMI5019 Simulação Condicional aplicada ao Planejamento de Lavra
• PMI5020 Aplicação de sistemas ERP na Mineração
• PMI5843 Análise de Sistemas Mineiros
5. O processo seletivo será processado por meio de avaliações sucessivas de candidatos, agrupados em conformidade com sua titulação.
5.1. Na primeira etapa de avaliações, serão convocados para as provas, caso haja, os candidatos portadores do título de Doutor.
5.2. Encerrada a primeira etapa de avaliações, os candidatos habilitados serão classificados, da seguinte forma:
I. O primeiro colocado será o candidato que obtiver o maior número de indicações, de acordo com as notas conferidas pelos examinadores;
II. O segundo colocado será o candidato que obteria o maior número de indicações, de acordo com as notas conferidas, caso o primeiro colocado não tivesse participado das avaliações;
III. Os demais candidatos serão classificados, sucessivamente, seguindo o mesmo método previsto no inciso II.
IV. Em caso de empate, a Comissão de Seleção procederá ao desempate com base na média global obtida por cada candidato.
5.3. Classificados os candidatos, serão feitas as convocações para a contratação, até, caso necessário, esgotar-se a lista de habilitados.
5.4. Na hipótese de não haver habilitados na primeira etapa, ou caso nenhum dos candidatos habilitados atenda à convocação para contratação, será iniciada a segunda etapa de avaliações, convocando-se para as provas, caso haja, os candidatos portadores do título de Mestre.
5.5. Na segunda etapa de avaliações, proceder-se-á de acordo com o disposto no item 5.2.
5.6. Não havendo inscritos portadores do título de Doutor, a primeira etapa de avaliações será realizada com os candidatos portadores do título de Mestre.
6. As provas, em cada etapa, serão realizadas em uma única fase, na seguinte conformidade:
I. Prova Escrita
II. Prova Didática
6.1. A prova escrita, que versará sobre o programa base do processo seletivo, será realizada de acordo com o disposto no artigo 139 e seu parágrafo único do Regimento Geral da USP.
6.1.1. A Comissão de Seleção organizará uma lista de dez pontos, com base no programa do processo seletivo, e dela dará conhecimento aos candidatos, vinte e quatro horas antes do sorteio do ponto.
6.1.2. Sorteado o ponto, inicia-se o prazo improrrogável de cinco horas de duração da prova.
6.1.3. Durante sessenta minutos, após o sorteio, será permitida a consulta a livros, periódicos e outros documentos bibliográficos de uso público, não em meio eletrônico, que o candidato tiver levado para o local da prova, do qual não lhe será permitido ausentar-se durante esse período.
6.1.4. As anotações efetuadas durante o período de consulta poderão ser utilizadas no decorrer da prova, devendo ser feitas em papel rubricado pela Comissão de Seleção e anexadas ao texto final.
6.1.5. A prova, que será lida em sessão pública pelo candidato, deverá ser reproduzida em cópias que serão entregues aos membros da comissão julgadora, ao se abrir a sessão;
6.1.6. Cada prova será avaliada pelos membros da Comissão de Seleção, individualmente.
6.2. A prova didática será pública, com a duração mínima de 40 (quarenta) e máxima de 60 (sessenta) minutos, e versará sobre o programa base do processo seletivo, nos termos do art. 137, do Regimento Geral da USP.
6.2.1. O sorteio do ponto será feito 24 (vinte e quatro) horas antes da realização da prova didática;
6.2.2. O candidato poderá utilizar o material didático que julgar necessário.
6.2.3. O candidato poderá propor substituição dos pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do processo seletivo, cabendo à Comissão de Seleção decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.
6.2.4. Os candidatos que se apresentarem depois do horário estabelecido não poderão realizar as provas.
6.2.5. Se o número de candidatos o exigir, eles serão divididos em grupos de no máximo três, observada a ordem de inscrição, para fins de sorteio e realização da prova.
6.2.6. As notas da prova didática serão atribuídas após o término das provas de todos os candidatos.
7. Os pesos das provas são os mesmos estabelecidos no Regimento da Escola Politécnica da USP e, para o cálculo da média individual, a soma dos pesos será o quociente de divisão.
8. Serão considerados habilitados os candidatos que alcançarem, da maioria dos examinadores, nota mínima sete.
9. O programa base do processo seletivo será o seguinte:

ESPECIALIDADE: LAVRA DE MINAS
1. Perfuração mecânica das rochas: Fundamentos teóricos do fenômeno da penetração em rochas. Aplicação aos diversos tipos de rocha. Métodos não convencionais de penetração das rochas. Equipamentos utilizados a céu aberto e em sub-solo. Perfura¬bilidade das rochas.
2. Desmonte por explosivos. Teoria da detonação. Principais características dos Explosivos. Classificação dos explosivos comerciais. Acessórios e sua utilização. Correlação entre as características dos explosivos e das rochas a serem detonadas.
3. Plano de fogo. Projeto de salvas em bancadas, e realces de produção para estimativa dos custos de perfuração e desmonte de rocha.
4. Máquinas de carregamento. Comparação entre pá carregadora, ¬escavadora a cabo e escavadora hidráulica. Aspectos técnicos e econômicos. Escavadoras contínuas. Equipamentos auxiliares. Escarificação.
5. Transporte de minério a céu aberto. Características das vias de transporte. Seleção do equipamento. Dimensiona ¬mento.
6. Transporte em sub-solo. Escolha entre mina com ou sem trilhos. Cálculo da via permanente. Equipamentos sobre pneus para trabalhos subterrâneos. Alçamento do minério do sub-solo à superfície. Equipamento para poços verticais e inclinados. Alçamento do minério do sub-solo à superfície. Equipamento para poços verticais e inclinados. Transportadores contínuos.
7. Manutenção de equipamentos pesados. Controle ambiental das atividades de manutenção. Controle de emissões atmosféricas nas operações de carregamento e transporte.
8. Planejamento da lavra a céu aberto: gerenciamento e atualização de dados geológicos; perfis verticais, secções horizontais, modelos de blocos e sub-blocos. Estimativa dos teores, aplicações geoestatisticas, variograma, Krigagem e simulação geoestatística. Avaliação de reservas.
9. Planejamento da lavra a céu aberto: Teores econômicos e suas relações funcionais com as quantidades de estéreis a remover. Otimização do benefício e teor de corte. Determinação do limite final da cava.
10. Modelagem e simulação da lavra. Programação de curto, médio e longo prazos. Sequenciamento de lavra. Integração com despacho e controle de frotas. Gestão de índices de produção. Reconciliação de lavra.
11. Lavra em bancadas em maciço rochoso. Desenho geral da mina, altura das bancadas, vias de acesso, etc. Escolha e conciliação do equipamento. Utilização de britadores dentro da cava e sistemas de transporte contínuo. Posicionamento e orientação de rampas na cava.
12. Lavra em tiras. Desenhos mais utilizados. Métodos e equipamentos para remoção e disposição de estéreis. Conciliação do equipamento. Recomposição da superfície.
13. Lavra em placeres - Aluviões submersas: dragagem. Aluviões não submersas: desmonte hidráulico e bombeamento de polpas hete¬rogêneas.
14. Abertura e desenvolvimento de minas subterrâneas. Poços verticais, poços inclinados e rampas. Correlação com ¬tipo e condições de jazimento, escala de produção e sistema de mineração escolhido.
15. Método de lavra por pilar e salão. Dimensionamento de pilares. Recuperação de pilares.
16. Lavra em sub-níveis com perfurações longas. Dimensionamento de salões e leques de perfuração.
17. Métodos de armazenamento, de corte e aterro e de realces emadeirados.
18. Lavra por desabamento - desabamento de blocos e painéis, desabamento em sub-níveis. Método por frentes Longas.
19. Seleção do método de lavra - condições de jazimento, escala de produção, produtividade e segurança.
20. Engenharia ambiental em minas. Conceitos de segurança e higiene ocupacional. Agentes físicos (ruídos, vibrações, iluminação, conforto termo-corporal), agentes químicos (gases, aerosois). Noção de ergonomia. Equipamento de proteção individual. Sistema de controle de perdas e danos.
21. Ventilação de minas. Ventilação natural, forçada, geral diluidora e local exaustora. Vazão de ar. Redes de ventilação. Solução numérica de redes: Métodos empírico e por programação linear. Seleção de ventiladores. Esquemas de ventilação.
22. Controle e planejamento ambiental. Princípios e objetivos da avaliação de impacto ambiental. Aspectos legais. Diagnóstico ambiental, técnicas de previsão de efeitos e impactos, análise de riscos. Conteúdo de Estudos e Relatórios de Impacto ambiental (EIA/RIMA). Medidas controladoras e mitigadoras.
23. Drenagem de minas. Hidrologia e sistemas de bombeamento de minas a céu aberto e subterrâneas.
24. Métodos não convencionais de lavra. Lavra de depósitos por sondagens profundas. Métodos de drenagem e dissolução. Lavra extra-terrestre. Lavra de meteoritos.Sistemas “hot dry rock”.
25. Governança corporativa no ciclo de planejamento de lavra: integridade dos dados e dos processos de planejamento; termos de referência; atribuição de responsabilidades; códigos internacionais de recursos e reservas minerais; relação com a Lei Sarbannes-Oxley; gerenciamento de cenários de lavra.

Disciplinas utilizadas no programa
PMI3220 Planejamento de Lavra de Minas
PMI3325 Lavra a Céu Aberto
PMI3301 Métodos de Lavra Subterrânea
PMI3236 Projeto de Lavra de Minas
PMI3813 Trabalho Prático de Campo
PMI3213 Escavação e Transporte na Mineração
PMI3101 Introdução à Engenharia Aplicada à Indústria Mineral
PMI5014 Projeto de Planejamento e Sequenciamento de Lavra
PMI5774 Gerenciamento de Projetos de Mineração
PMI5019 Simulação Condicional aplicada ao Planejamento de Lavra
PMI5020 Aplicação de sistemas ERP na Mineração
PMI5843 Análise de Sistemas Mineiros

10. É de responsabilidade do candidato o acompanhamento do andamento do processo seletivo, por meio de acesso ao link https://uspdigital.usp.br/gr/admissao, à página institucional da EPUSP, e às publicações no Diário Oficial do Estado de São Paulo.
11. O não comparecimento do candidato às provas programadas implicará automaticamente sua desistência do processo seletivo.
12. O relatório da Comissão de Seleção será apreciado pelo CTA, para fins de homologação, após exame formal.
13. A contratação será por prazo determinado e vigorará a partir da data do exercício e até 31/07/2018, com possibilidade de prorrogações, desde que a soma dos períodos não ultrapasse o prazo de dois anos.
14. Os docentes contratados por prazo determinado ficarão submetidos ao Estatuto dos Servidores da Universidade de São Paulo e vinculados ao Regime Geral da Previdência Social – RGPS.
15. São condições de admissão:
I. Estar apto no exame médico pré-admissional realizado pela USP;
II. Ser autorizada a acumulação, caso o candidato exerça outro cargo, emprego ou função pública;
III. No caso de candidato estrangeiro aprovado no processo seletivo e convocado para contratação, apresentar visto temporário ou permanente que faculte o exercício de atividade remunerada no Brasil.
Maiores informações, bem como as normas pertinentes ao processo seletivo, encontram-se à disposição dos interessados no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos da EPUSP pelo telefone 11 3091 5225 ou por e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

 

Edital EP - 056/2017 - PRO - Doutor - Especialidade - Engenharia de Produção

EDITAL - EP/CONCURSOS – 056/2017

 

ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO DE TÍTULOS E PROVAS VISANDO O PROVIMENTO DE 2 (DOIS) CARGOS DE PROFESSOR DOUTOR, NO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.

 

Concurso em 2 fases

O Diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo torna público a todos os interessados que, de acordo com o decidido pela Congregação em sessão de 24/08/2017, estarão abertas, pelo prazo de 90 (noventa) dias, no período de 9 horas (horário de Brasília) do dia 28/08/2017 às 16 horas (horário de Brasília)  do dia 25/11/2017, as inscrições ao concurso público de títulos e provas para provimento de 2 (dois) cargos de Professor Doutor, referência MS-3, em RTC, claros/cargos nsº 1233572 e 1234676, com o salário de R$  4.695,21 ao mês, junto ao Departamento de Engenharia de Produção – PRO, na especialidade “Engenharia de Produção”, nos termos dos artigos 44 a 48, do Regimento Interno da Escola Politécnica, e o respectivo programa que segue:

O Programa da área Engenharia de Produção” é o seguinte:

  1. Cálculo de Probabilidade
  2. Variáveis Aleatórias e Distribuições de Probabilidades
  3. Lei dos Grandes Números e Teorema Central do Limite
  4. Tópicos de Confiabilidade
  5. Estatística descritiva
  6. Inferência Estatística: intervalo de confiança e teste de hipótese
  7. Análise de Variância
  8. Correlação e Regressão linear
  9. Modelagem e Otimização de Problemas de Produção
  10. Fundamentos da contabilidade geral e de Custos para Engenharia
  11. Principais métodos de decisão na Engenharia Econômica
  12. Organização do trabalho na Produção
  13. Planejamento, Programação e Controle da Produção
  14. Gestão logística: localização, planejamento de frota e distribuição física

 

Os tópicos acima se baseiam nas ementas das disciplinas de Graduação:

 

PRO2201 - Estatística I

PRO2723, PRO3200 - Estatística

PRO2304, PRO2276, PRO3414 - Princípios de Gestão da Produção e Logística

PRO2303, PRO2275, PRO3213, PRO3473 - Princípios de Administração de Empresas

PRO3211 – Introdução à Administração

PRO3415 - Princípios de Administração da Produção e Logística

O concurso será regido pelo disposto no Estatuto e no Regimento Geral da Universidade de São Paulo e no Regimento da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo:

  1. Os pedidos de inscrição deverão ser feitos, exclusivamente, por meio do link https://uspdigital.usp.br/gr/admissao no período acima indicado, devendo o candidato apresentar requerimento dirigido ao Diretor da Escola Politécnica da USP, contendo dados pessoais e área de conhecimento (especialidade) do Departamento a que concorre, anexando os seguintes documentos:

I – memorial circunstanciado e comprovação dos trabalhos publicados, das atividades realizadas pertinentes ao concurso e das demais informações que permitam avaliação de seus méritos, em formato digital.

II – prova de que é portador do título de Doutor outorgado pela USP, por ela reconhecido ou de validade nacional;

III – prova de quitação com o serviço militar para candidatos do sexo masculino;

IV – título de eleitor;

V – comprovante(s) de votação da última eleição, prova de pagamento da respectiva multa ou a devida justificativa.

Parágrafo primeiro: Elementos comprobatórios do memorial referido no inciso I, tais como maquetes, obras de arte ou outros materiais que não puderem ser digitalizados deverão ser apresentados até o último dia útil que antecede o início do concurso.

Parágrafo segundo: Os docentes em exercício na USP serão dispensados das exigências referidas nos incisos III e IV, desde que as tenham cumprido por ocasião de seu contrato inicial.

Parágrafo terceiro: Os candidatos estrangeiros serão dispensados das exigências dos incisos III, IV e V, devendo comprovar que se encontra em situação regular no Brasil.

Parágrafo quarto: O candidato estrangeiro aprovado no concurso e indicado para o preenchimento do cargo só poderá tomar posse se apresentar visto temporário ou permanente que faculte o exercício de atividade remunerada no Brasil.

Parágrafo quinto: No ato da inscrição, os candidatos portadores de necessidades especiais deverão apresentar solicitação para que se providenciem as condições necessárias para a realização das provas.

  1. As inscrições serão julgadas pela Congregação da Escola Politécnica em seu aspecto formal, publicando-se a decisão em edital.

Parágrafo único – O concurso deverá realizar-se no prazo de trinta a cento e vinte dias, a contar da data da publicação no Diário Oficial do Estado da aprovação das inscrições, de acordo com o artigo 134, parágrafo único, do Regimento Geral da USP.

  1. Das provas:

I - A convocação dos inscritos para a realização das provas será publicada no Diário Oficial do Estado.

II - Os candidatos que se apresentarem depois do horário estabelecido não poderão realizar as provas.

III – As provas constarão de:

1ª fase: prova escrita eliminatória;

2ª fase: prova didática e julgamento do memorial com prova pública de arguição.

Parágrafo primeiro – Primeira Fase: uma prova escrita de caráter eliminatório sob temas de disciplinas ou conjunto de disciplinas do Departamento. Nesse caso, o candidato que obtiver nota menor que 7,0 (sete), da maioria dos membros da Comissão Julgadora, estará eliminado do concurso (parágrafo acrescido pela Resolução nº 5233/2005).

A prova escrita, que versará sobre assunto de ordem geral e doutrinária, será realizada de acordo com o disposto no art. 139 e seu parágrafo único do Regimento Geral da USP.

I - a comissão organizará uma lista de dez pontos, com base no programa de concurso e dela dará conhecimento aos candidatos, vinte e quatro horas antes do sorteio do ponto;

II - sorteado o ponto, inicia-se o prazo improrrogável de cinco horas de duração da prova;

III - durante sessenta minutos, após o sorteio, será permitida a consulta a livros, periódicos e outros documentos bibliográficos;

IV - as anotações efetuadas durante o período de consulta poderão ser utilizadas no decorrer da prova, devendo ser feitas em papel rubricado pela comissão e anexadas ao texto final;

V - a prova, que será lida em sessão pública pelo candidato, deverá ser reproduzida em cópias que serão entregues aos membros da comissão julgadora, ao se abrir à sessão;

VI - cada prova será avaliada pelos membros da comissão julgadora, individualmente.

VII - O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à comissão julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

VIII - O candidato poderá usar computador nesta prova, ficando a critério da Comissão Julgadora do Concurso. A CPU será verificada, conforme determina a Circ.SG/Co/70, de 5/09/2001, e documento aprovado pela Egrégia Congregação em 28/02/2002.

Parágrafo Segundo - Segunda Fase: nesta fase, as provas serão:

  1.  Julgamento do memorial com prova pública de arguição;
  2.  Prova didática.

a) Julgamento do memorial

O julgamento do memorial, expresso mediante nota global, incluindo arguição e avaliação, deverá refletir o mérito do candidato.

No julgamento do memorial, a Comissão apreciará:

I - produção científica, literária, filosófica ou artística;

II - atividade didática universitária;

III - atividades relacionadas à prestação de serviços à comunidade;

IV - atividades profissionais;

V - diplomas e dignidades universitárias.

b) Didática

A prova didática será pública, com a duração mínima de quarenta e máxima de sessenta minutos, e versará sobre o programa deste edital, nos termos do art. 137, do Regimento Geral da USP.

§ 1º – O sorteio do ponto será feito 24 horas antes da realização da prova didática. sendo vedado ao candidato renunciar a esse prazo;

§ 2º O candidato poderá utilizar o material didático que julgar necessário.

§ 3º - O candidato poderá propor substituição dos pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à comissão julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

§ 4º – A aula deverá ser em nível de graduação.

  1. As notas das provas poderão variar de zero a dez, com aproximação até a primeira casa decimal.
  1.  O resultado do concurso será proclamado pela comissão julgadora imediatamente após seu término, em sessão pública.
  1. Serão considerados habilitados os candidatos que obtiverem, da maioria dos examinadores, nota final mínima sete.
  1. A indicação dos candidatos será feita por examinador, segundo as notas por ele conferidas.
  1. Será proposto para nomeação o candidato que obtiver o maior número de indicações da comissão julgadora.
  1. O empate de indicações será decidido pela Congregação, ao apreciar os relatórios da comissão julgadora, prevalecendo, sucessivamente, a média geral obtida, o maior título universitário e o maior tempo de serviço docente na USP.
  1. A posse do candidato indicado ficará sujeita à aprovação em exame médico realizado pelo Departamento de Perícias Médicas do Estado – DPME, nos termos do Artigo 47, VI da Lei nº 10.261/68.
  1. A nomeação do docente aprovado no concurso, assim como as demais providências decorrentes, serão regidas pelos termos da Resolução 7271 de 2016.
  1. O docente em RDIDP deverá manter vínculo empregatício exclusivo com a USP, nos termos do artigo 197 do Regimento Geral da USP.

13. O concurso terá validade imediata e será proposto para nomeação somente o candidato indicado para o cargo posto em concurso.

14. O candidato será convocado para posse pelo Diário Oficial do Estado.

Maiores informações, bem como as normas pertinentes ao concurso, encontram-se à disposição dos interessados no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, na Avenida Professor Luciano Gualberto, 380, Travessa 3, Prédio Engenheiro Mario Covas Junior, Cidade Universitária – São Paulo,SP.

Informações dos editais publicados acesse o site www.imesp.com.br

     Contatos: e-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.