Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias FEBRACE recebe três mil visitantes no primeiro dia

FEBRACE recebe três mil visitantes no primeiro dia

Feira apresenta projetos em Engenharia, Ciências Agrárias, Biológicas Exatas e da Terra, Humanas, da Saúde e Sociais e Aplicadas.

Aproximadamente três mil pessoas visitaram a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que começou ontem (21/03), na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Na grande tenda montada no estacionamento, ao lado do Prédio da Administração da Escola, alunos do Ensino Médio de todo o País estão expondo seus projetos, cujos temas se relacionam aos diversos campos das Ciências e Engenharia.

A 15ª edição da Feira teve mais de dois mil projetos inscritos. São 700 alunos e 400 professores finalistas a participarem da exposição, cujos trabalhos serão analisados por aproximadamente 700 avaliadores. Eles observam os projetos de acordo com critérios como criatividade, inovação e conhecimento científico. Os alunos e docentes que se destacarem receberão prêmios como troféus, medalhas, bolsas de iniciação científica e estágios A equipe melhor colocada vai expor seu projeto na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (Intel ISEF) em Los Angeles, EUA.

Antes de chegar à Feira, os estudantes e professores expositores percorreram um longo caminho. Para ser um finalista e ter seu projeto exposto, os estudantes precisam formar uma equipe, que deve ser composta por um professor orientador e um grupo de um a três alunos da mesma instituição, e submeter à Febrace um relatório, por meio do site do evento, com informações sobre o plano de pesquisa, um resumo e uma foto do que a equipe  irá estudar. Após a análise de todas as propostas, os finalistas são anunciados em uma lista divulgada eletronicamente.

Primeiro dia – A cerimônia de abertura da 15ª Febrace teve a presença da vice-diretora da Poli, professora Liedi Legi Bariani Bernucci, que agradeceu o esforço de todos os envolvidos na organização da  Febrace, saudou as autoridades e ressaltou a importância que um evento como esse tem para a Escola e para incutir nos jovens a curiosidade científica. Também participante da abertura, o vice-reitor da USP e professor da Poli, Vahan Agopyan, traçou um histórico do evento, destacando a sua continuidade ao longo do tempo.

O primeiro dia foi bem agitado. Os visitantes se surpreenderam com o nível de inovação dos projetos. “É fantástico e muito interessante ver os meninos se preocuparem com questões tão pertinentes à sociedade como sustentabilidade, diversidade e questões sociais”, afirmou Maria Fátima dos Santos, servidora pública em São Paulo. Pelo segundo ano consecutivo ela visitou a Febrace. Nesta edição, por um motivo especial: suas duas filhas estavam expondo um trabalho sobre a utilização de minhocas no solo.

As amigas Milena Torres, Sthefany Reis e Elisabeth Pazetti, estudantes do Colégio São Paulo, estiveram na Feira pela primeira vez e, de cara, se interessaram por um projeto relacionado ao uso do videogame para aprendizado. Segundo elas, a visita é uma experiência que traz uma nova perspectiva a quem está no Ensino Médio.

As ideias – Quem visitar a Febrace poderá conhecer jovens do Brasil inteiro e suas propostas e soluções, no mínimo, surpreendentes, para grandes problemas da sociedade brasileira. É o caso dos amigos Arthur de Freitas Pretcher, Leonardo Martins e Luciano Sampaio da Silva, do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense, Campus Charqueadas Eles desenvolveram a Smartleg, um modelo de prótese robótica transfemoral capaz de trazer uma melhor qualidade de vida para pessoas que sofreram amputação.

A Febrace continua aberta aos visitantes até quinta-feira (23/03), das 14h às 19h, e a entrada é gratuita. Na sexta-feira (24/03) será realizada no Anfiteatro do Centro de Difusão Internacional da USP, às 15h, a cerimônia de premiação dos melhores projetos. O evento é aberto ao público.

Confira as fotos do evento em nosso álbum no Flickr

(Amanda Panteri)